Pedro Neves

Maçonaria - Esoterismo - Misticismo - Simbolismo

Textos


7

A PEDRA POLIDA

“O trabalho do companheiro está quase concluído, ele simplesmente deverá  justapor a própria pedra no lugar que lhe compete, Mas o que se esconde no núcleo áureo da pedra-homem"?

Livre interpretação da obra do pintor Di Prinzio, por Pedro Neves.

O pavimento de mosaico com a sua alternância de cores está sempre a mostrar a dualidade na vida, amor e ódio, belo e feio, rico e pobre. È o caminho que o iniciado deve trilhar, entre o preto e o branco, uma linha muito fina.
O livro da lei é o código de moral da instituição.
O malhete é o símbolo do poder.
A espada representa o espírito ou a palavra do Supremo Árbitro dos Mundos, a espada flamejante simboliza a espada de fogo que foi usada pelos querubins do paraíso, só o conhecimento elevado nos permite segura-la. O seu fogo extermina no profano o que existe de mal e faz nascer um novo homem.
Nos degraus os seis obreiros do bem e do trabalho, os apóstolos liberdade, reverenciam a sua criação o sétimo ser. O novo homem-pedra.
O aprendiz tenta despertar a força da palavra no sinal gutural, nele a matéria sobrepõe o espírito.
O companheiro já começa a sentir que o espírito se faz presente sobre a matéria querendo sobrepujá-la, tenta receber as forças do alto para direcioná-las ao coração.
O mestre não se importa que lhe dividam o corpo, pois sabe que o seu espírito dominou a matéria, ele é imortal.
Os degraus mostram a ascensão do ser na caminhada em busca do aperfeiçoamento moral e espiritual.
Sobre a pedra polida que representa a perfeição, o machado símbolo do trabalho desenvolvido pelo homem em todos os tempos. Ele é o grande agente da civilização, foi a primeira arma e o primeiro instrumento, também tem sido desde os tempos pré-históricos, objeto de um culto quase geral. Mais tarde, os homens fizeram dele uma arma favorita dos Deuses. Todo trabalho produtivo é nobre e liberal, isto é digno de homens iguais e livres. A única condição desprezível é a do ocioso, que deprime a sociedade. “que aquele que não quer trabalhar, não tenha o que comer”, disse o apóstolo Paulo. A sabedoria das nações tem repetido sempre que a ociosidade é a mãe de todos os vícios.
A corda é o símbolo da união, os finos fios trançados a fazem ter uma enorme resistência, os laços de amor dão a liberdade necessária entre os iniciados, nunca se apertando para se transformarem em nós.
O portal é construído de duas colunas simbolizando o que é justo e perfeito, encimadas por um triângulo, figura geométrica com importante valor simbólico em muitas religiões e escolas esotéricas, representando a trindade divina: sabedoria, perfeição e harmonia. O triângulo eqüilátero é um dos principais símbolos maçônicos; aparece geralmente com um olho aberto em seu interior, simbolizando a consciência divina, sempre desperta e vigilante. Neste triângulo temos as letras hebraicas, Iod, He, Vá, He, o nome inefável.
Ao fundo o entrelaçamento que partindo das extremidades se convertem em círculos de irradiação.
Acima do pórtico, as letras que representam a frase: À Glória Do Grande Arquiteto do Universo.
Com o trabalho praticamente concluído, a pedra polida por base, este é o local escolhido para se colocar o templo interior construído, o “homem-pedra”. No seu núcleo estão escondidas as virtudes que foram cultivadas durante o desenvolvimento espiritual do ser. Então ele pode sentir que é justo e perfeito. 

SAIBA COMO ADQUIRIR O LIVRO ANÁLISE DO RITUAL DE APRENDIZ MAÇOM - REAA. VISITE O SITE: www.pedroneves.recantodasletras.com.br  e veja livros à venda.

PEDRO NEVES .’. M .’. I .’. 33
SITE: www.pedroneves.recantodasletras.com.br

Pedro Neves
Enviado por Pedro Neves em 05/06/2008
Alterado em 23/11/2010

Música: IMMORTALITY - ANDREY CECHELERO

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ("você deve citar a autoria de Pedro Neves e o e-mail, neves.pedro@gmail.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras